terça-feira, 26 de julho de 2016

Da Igreja

A luta dos protestantes contra a Igreja milenarmente estabelecida por Cristo, do ponto de vista social e religioso, tem produzido uma verdadeira revolução espiritual de lutas e dispersão no seio das muitas seitas fragmentadas, em um avanço sistemático sob bandeiras próprias.

Do ponto de vista eclesiástico, o fenômeno do Big-Bang religioso intensificado nos EUA em meados do Séc. XIX, é o responsável pelo surgimento das igrejas livres, autônomas e autossuficientes em si mesmas, ecoando ainda hoje.

Estas, demonstrando sua face puramente humana, se assemelham à partidos políticos, da qual, disputam os votos dos fiéis para qual apresentar a melhor proposta de vantagem pessoal. Neste quesito, há denominações self-service para todos os gostos e interesses particulares, quando não, insólitos.

quinta-feira, 21 de julho de 2016

A Liga da Verdade

A unidade da Igreja é estabelecida pela natureza da verdade na propriedade em que a verdade é predominantemente uma. Assim, é impossível que a verdade seja uma multiplicidade de crenças conflitantes embasadas em malabarismos e esforços de pensamentos e ainda permaneça estável e crível.

Pelo motivo dos feitos humanos serem mutáveis, o relativismo é um conceito moderno introduzido pela classe científica, coisa que na ciência e na engenharia são necessárias para que haja melhorias e desenvolvimento em busca do bem maior. 

sábado, 16 de julho de 2016

Resultado da Punição Enquanto Modelo

Racismo, banditismo e outras falhas do caráter humano desequilibrado, não se desarraigam debaixo dos holofotes de uma dura punição impositiva. No melhor caso, apenas as represam para se fenderem em ocasiões posteriores mais imprestáveis como desagravo. Se punições resolvessem os problemas em modo definitivo, tal como a doma de um animal irracional que se coloca debaixo dos caprichos do domador, esta sociedade a muito estaria um paraíso, ou estou errado?

sexta-feira, 8 de julho de 2016

Envelhecência

Sempre que me defronto com a famigerada pergunta ou com aquele incômodo cadastro em que indagam a minha idade, me vejo obrigado a responder timidamente em termos numéricos apenas, já que o importante destes números acumulados, não se consegue expressar nas entrelinhas da excelência que representam. 

Assim, como explicar tais adjetivos implícitos a quem não compreende? Como explicar o doce para quem nunca o provou? 

sábado, 2 de julho de 2016

Medo Sim, Covardia Não!

Para estabelecer a linha demarcatória entre o medo e a covardia que nos envolvem e que nos últimos tempos tem se multiplicado absurdamente em relação a poucas décadas atrás, é tanto necessário para o contexto atual, compreendermos também uma terceira e importante entidade também inserida neste ambiente, a saber, a coragem.

Pois bem, não devemos encarar o medo como algo ruim e nem a coragem como algo sempre bom, pois, por mais incrível que possa parecer, enquanto o medo é sempre bom, a coragem pode mudar de lado facilmente, pois é suscetível à situação. Para você compreender essa lógica as avessas, a despeito do juízo que possui deles no momento, perceba que até mesmo o negativo também é bom e o positivo pode ser ruim, sim, o negativo é em algumas situações muito desejável e o positivo altamente indesejável. Por exemplo: Todos desejamos um resultado positivo em um teste admissional de trabalho, contudo, não queremos este mesmo resultado nos testes sanguíneos quando vamos doar. Compreende agora as duas faces inseparáveis da mesma moeda?